quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Embalagens de Natal... Criatividade nas aulas de artes!


Desenvolver as potencialidades dos nossos educandos, é uma bandeira que tem sido levantada por muitos educadores. Estimular a critividade através desta atividade é uma forma de desenvolver uma parte das inteligências múltiplas; além de estimular a solidadariedade através da troca de presentes e aspectos afetivos.

Esta atividade também trabalha-se a conservação ambiental e reaproveitamento e reutilização das embalagens através da reciclagem.

Uma infininade de conceitos podem ser trabalhados através desta atividade : seriação e separação, cores, coordenação motora fina e grossa...

Aproveite e estabeleça objetivos e trabalhe com o ensino fundamental ou educação infantil vários conceitos.

Materiais necessários:
  • Embalagens de diversos tipos e tamanhos (vazias e limpas) de caixa tetra pak
  • papéis de presente
  • barbante conhecido como rabo de rato ou similar
  • fitas para decorar
  • papel fino ( pode ser utilizado para valorizar a embalagem)
  • Cola, tesoura e furador.




quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Atividades para comemorar o Natal!


>>Explore gravuras de Natal. Conte às crianças, de modo bem simples, como foi o nascimento de Jesus. Comente sobre as festas natalinas e a decoração das igrejas, das ruas e lojas.

>>Motive as crianças a montar um presépio de cartolina ou de árvore de Natal para decorar a sala. Elas podem confeccionar enfeites como bolinhas de isopor pintadas, estrelas, velas e anjinhos de cartolina.

>>Explique o significado dos símbolos: a árvore, as bolas coloridas, os sinos, as estrelas, e as luzes representam a alegria pelo nascimento de Cristo. A estrela grande, que se vê no presépio, lembra a que brilhou sobre a gruta de Belém quando Jesus nasceu.

>>Desperte o interesse das crianças para confeccionar cartões de Natal para os amigos, pais e avós. Depois, as crianças criam mensagens, que serão escritas com a ajuda do professor ou de irmãos mais velhos.

>>Estimule a formação de bons hábitos, como o respeito às crenças das pessoas, por mais diferentes que sejam das nossas. Enfim, deve-se incentivar o respeito aos símbolos e sentimentos alheios e à religiosidade de cada um.

Texto informativo

O Natal é uma festa cristã, ou seja, é uma festa das pessoas que creem em Cristo. Jesus Cristo trouxe-nos muitas mensagens sobre a necessidade de paz, amor de respeito entre as pessoas. No Natal , dia 25 de dezembro, comemoramos o nascimento de Jesus. Mas muita gente nem se lembra do aniversariante e da mensagem que ele deixou. Algumas pessoas só pensam em ganhar presentes.

No Brasil, a maioria das pessoas são Cristãs. Mas também há muita gente que tem outras crenças ou não tem nenhuma. Os índios, por exemplo, não comemoram o Natal. Os judeus têm festas diferentes. Os muçulmanos também. Mas isso não importa. Cada um pode pensar como quiser, desde que não pense que está vivendo sozinho no mundo. Uma pergunta para cada um fazer a si mesmo nessa época do ano e em todas as outras: “O que eu não gosto de ver quando saio na rua? O que as pessoas poderiam fazer para mudar isso?”.

>>Explique aos alunos que o Natal é uma festa da religião católica. Pergunte aos alunos se alguém comemora em casa uma festa religiosa diferente dessa ou se não comemora nenhuma. Se algum aluno quiser, pode falar sobre as festas de sua religião. Para que a escola não privilegie a religião católica, em detrimento das demais crenças, propomos que as comemorações estejam centradas em mensagens de paz, fraternidade, amor, solidariedade e respeito ao próximo. Isso não impede a utilização de símbolos tradicionais do Natal, como luzes coloridas, Papai Noel e árvore de Natal, que fazem parte do imaginário infantil.

>>Leia e explique para os alunos o texto informativo.

>>Com a ajuda dos alunos, faça uma “árvore de Natal comunitária”.

Faça a arvore usando um galho seco, enfiado em uma caixa forrada com papel colorido. O galho pode ser coberto com papel crepom enrolado. Nessa estrutura, os alunos amarram lacinhos de fita e outros pingentes de cartolina pintada.

Depois cada aluno leva para casa 5 pedaços de papel espelho recortado. Nesses papéis, a família do aluno irá escrever o que gostaria que fosse diferente no mundo.

O professor receberá esses papéis e os amarrará nos galhos da árvore de Natal. Ao entregar os papéis para o professor, os alunos podem dar sua opinião sobre o que está escrito nos papéis. Para que isso seja possível, oriente os pais previamente a explicar aos filhos o que estão escrevendo.

>>Ensine-os também a fazer uma árvore de Natal utilizando uma revista usada.

Ajude os alunos a fazer esta árvore de natal, ensinando-s a dobrar as folhas de uma revista velha, uma a uma, como mostra a sequencia:

Dobrada todas as folhas, obtém-se um cone que lembra uma árvore de Natal. Basta um toque de criatividade nos enfeites para produzir uma bela árvore de Natal de material reciclável.

Iguais ou diferentes, que diferença faz?


Aproveite o início do ano para trabalhar valores humanos, respeito a diversidade e ações que evitam o Bulling...

Com esse projeto, os alunos mudaram suas atitudes diante da diversidade humana. Leve essa boa ideia para a sua escola!


Por Mônica Krausz

Objetivos:


Estimular o respeito às diferenças e ao meio ambiente
Aprender a viver junto aceitando a opinião dos outros e expondo as suas com clareza e detalhes, com afetividade e colaboração
Entender que precisamos resolver os conflitos por meio de negociação pacífica
Entender que para preservar o mundo devemos começar em casa e na escola, desenvolvendo também a consciência ecológica
Duração: 4 meses


"Diversidade humana: iguais ou diferentes, que diferença faz?", inserido na temática da Biodiversidade, proposta este ano pela UNESCO.

Primeira leitura e início do projeto

1. O projeto inicia-se com a leitura coletiva do livro Esta é Silvia, de Jeanne Willis, editora Salamandra. A história mostra uma menina realizando várias atividades corriqueiras de crianças e só no final do livro o leitor descobre que a menina tem necessidades especiais (é cadeirante).

2. A leitura deverá ser seguida de roda de conversa e de um passeio pela escola para observação das diferenças entre as pessoas. Uma tem cabelos loiros e lisos, outra tem cabelo crespo...

3. Autorretrato: em seguida, cada aluno desenhará o seu próprio rosto, destacando as diferenças.

4. Reescrita do livro: as crianças vão contando a história e a professora escrevendo em folhas de cartolina ou papel pardo. Depois as crianças ilustram a a história com seus desenhos.

Boneco da diversidade

Cada criança faz o seu e depois todos os bonecos devem ser reunidos para demonstrar a diversidade humana.

Materiais:

revistas
fita crepe
papel higiênico
cola branca
tinta guache
pincel

1. Com as folhas de revistas, faça uma bola para formar a cabeça. Passe fita crepe ao redor.

2. Com o papel, faça o corpo, amassando para dar o formato. Passe fita crepe e una com a cabeça.

3. Faça os braços e as pernas com revista. Passe fita crepe.

4. Pique pedaços de revista e cole no boneco com cola branca.

5. Pinte todo o boneco com tinta guache branca, usando o pincel.

6. Pique papel higiênico em pedaços pequenos e misture com cola branca (pequenas porções) até virar papel machê.

7. Passe essa mistura no corpo do boneco até cobrir todos os pedaços de revista. Deixe secar por dois dias. Pinte com pincel e tinta guache.

Lendo Rubem Alves

As crianças também devem ler com a professora dois livros de Rubem Alves, A Árvore e a Aranha e A Libélula e a Tartaruga, editora Paulus. Por meio dessas obras, poderão am observar que os animais também são diferentes entre si e que as características de cada um são fundamentais para o equilíbrio da natureza. Em roda de conversa, devem chegar à conclusão de que a beleza não está apenas no aspecto físico, mas principalmente nas qualidades morais, na amizade, no companheirismo etc. Antes de partir para a próxima leitura, as crianças devem construir uma maquete sobre o livro A árvore e a Aranha.

Percebendo as diferenças

A partir da leitura do livro Na Minha Escola Todo Mundo é Igual, de Rossana Ramos, editora Corteza, as crianças entrarão em contato os diferentes tipos de necessidades especiais que as pessoas podem ter.

Os alunos podem desenhar o corpo de seus colegas numa folha de papel pardo. Cada aluno se deita sobre uma folha enquanto um colega contornava o seu corpo com um lápis. Depois é só soltar a criatividade e desenhar e pintar o rosto, os cabelos e as roupas por cima do contorno principal.

Rodas de conversa

Promover rodas de conversa com as crianças, nas quais elas apresentam objetos trazidos de casa que representassem a história de seus pais e os países de origem de suas famílias. Na hora da roda, a professora e os alunos devem procuraros países no globo terrestre e comentavam sobre a distância e os meios que se usavam para chegar ao Brasil.

Globo terrestre

Na sala de os alunos ainda podem confeccionar um grande cartaz com a imagem do globo terrestre e crianças de várias etnias ao redor dele.

Questões abordadas: Biodiversidade, diversidade cultural, paz, direitos humanos e cidadania

Culminância: Exposição de trabalhos feitos pelos alunos.

Livros utilizados:

Na Minha Escola Todo Mundo é Igual Autor: Rossana Ramos Editora: Cortez
A Árvore e a Aranha / A Libélula e a Tartaruga Autor: Rubem Alves Editora: Paulus
Esta é a Sílvia Autor: Jeanne Willis Editora: Salamandra

Projeto retirado da Revista Guia Prático da educação Infantil - Ed.89/Julho de 2010.
*Texto com pequenas alterações para fins pedagógicos.

Contar histórias e dobrar papel


Leve a técnica do origami para sua narrativa usando o lúdico enredo dos três porquinhos

Por Robson A. Santos

Objetivos:
Enriquecer histórias com o uso de origamis
Apresentar aos alunos uma nova versão do clássico Os Três Porquinhos


O origami, arte oriental de dobrar papel, pode e deve ser utilizado para enfeitar as histórias, dando vida a personagens, cenários e outros recursos que achar interessante. Para a história dos três porquinhos, velha conhecida de todos (apresentada aqui numa versão um pouquinho diferente), utilizaremos dedoches feitos de origami. Você ainda pode incrementar fazendo um cenário com caixa de sapatos ou papelão sem o fundo e decorando-o como quiser.



Dedoches
Siga os passos 1 a 4 para chegar à forma básica do decoche. Com os passos 5 a 7 você faz o porquinho e do 8 ao 10, o lobo.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Homenagem da Revista Nova Escola...


O professor do futuro é você

Planejamento

E o futuro é agora. Conheça as seis características essenciais ao perfil de um professor do século 21:
1. Ter boa formação
2. Usar as novas tecnologias
3. Atualizar-se nas didáticas específicas
4. Trabalhar bem em equipe
5. Planejar e avaliar sempre
6. Ter atitude e postura profissionais



Crie sua foto na capa da Nova escola ! no siteVocê na capa de NOVA ESCOLA. Esta é a minha capa!


sexta-feira, 15 de outubro de 2010

AO MESTRE COM CARINHO.wmv

orkut recados

RecadosOnline

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Buscadores & polinizadores 4a versão

Check out this SlideShare Presentation:

segunda-feira, 6 de setembro de 2010


EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO

A educação para o trânsito pode ser definida como uma ação para desenvolver, no ser humano, capacidades de uso e participação consciente do espaço público, uma vez que, ao circular, os indivíduos estabelecem relações sociais, compartilham os espaços e fazem opções de circulação que interferem direta ou indiretamente na sua qualidade de vida e daqueles com quem convivem nesse espaço.
Essa afirmação permite-nos refletir sobre a complexidade de conceitos e conteúdos que compõem o estudo da circulação e nos permite ainda afirmar que, fazer educação para o trânsito, vai muito além do estudo das regras, símbolos e convenções estabelecidas no sistema de trânsito.
Assim, fazer educação para o trânsito passa por discussões sobre: o exercício de cidadania; a mobilidade e acessibilidade para todos; os papéis assumidos ao circular; o compartilhamento do espaço; o meio ambiente e a história de cada local. Tudo isso permite garantir o direito de ir e vir de todo o cidadão. Ao garantir o acesso a esses conteúdos com aspectos culturais, históricos e sociais desenvolvidos pela sociedade, a escola cria instrumentos eficazes para que os alunos se apropriem de conhecimentos relacionados à circulação e, ao mesmo tempo, cria condições para um acompanhamento equilibrado do envolvimento do aluno em ações de qualificação da sua circulação e da comunidade a qual pertence.
Circular representa o direito de ir e vir de todo o ser humano; na circulação, temos representados princípios constitucionais de garantia da dignidade da pessoa humana, igualdade de direitos, possibilidade de participação e de co-responsabilidade pela vida social. A circulação é a ação que permite atender a todas as nossas necessidades e interesses e representa um espaço de encontros, convivência social e exercício de cidadania.
Durante a circulação fazemos escolhas pautadas em valores como respeito mútuo, responsabilidade, justiça e solidariedade.
Por meio da circulação temos acesso ao trabalho, ao consumo, ao lazer, à educação, o que implica na garantia de uma vida digna e de realização pessoal;
A circulação tem relação direta com o meio ambiente e portanto, com a qualidade de vida e é caracterizada pelo resultado de um processo histórico representado pelas ações do ser humano sobre o meio ambiente para atender aos interesses de
cada época. É um processo que desde a pré-história envolve desenvolvimento de tecnologia, formas de uso e ocupação do solo, desenvolvimento econômico e troca de conhecimentos e mercadorias já que se tornou um espaço com ambiente construído pelo ser humano, com características que representam os valores de cada época, e que hoje, dentre os muitos impactos que apresenta para a qualidade de vida, o maior deles é a perda de vidas, valor maior e que não pode ser recuperado.
Os aspectos acima citados e pertinentes à circulação, representam conteúdos que permeiam várias matérias do currículo escolar como história, geografia, ciências naturais, meio ambiente e saúde, ao mesmo tempo em que outros conteúdos da circulação podem ser explicados ou compreendidos por meio de conceitos matemáticos, da linguagem oral, escrita e das artes.
Desenvolver a Educação Para o Trânsito no Ensino Fundamental, possibilita explorar o tema e suas variáveis através dos diferentes campos de conhecimento: compreender sua complexidade, observar sua urgência social sob a ótica de que as condições de circulação, para uma grande parte da população, se apresentam como obstáculos para a construção da cidadania, afrontando a dignidade das pessoas, impedindo a inclusão social e afetando a qualidade de vida; analisar sua abrangência que deve ser considerada nacional, em maior ou menor medida e mesmo de formas diversas, pois é pertinente a todo o ser humano e, portanto, a todo o País; verificar a possibilidade de ensino e aprendizagem no ensino fundamental uma vez que é significativa e contextualizada, estando ao alcance da aprendizagem dessa etapa de escolaridade; identificar o favorecimento da compreensão da realidade e da participação social, uma vez que o tema circulação pode levar os alunos a desenvolver a capacidade de posicionar-se frente a questões que interferem na vida coletiva, superar indiferenças, intervir de forma responsável. Assim o desenvolvimento da educação de trânsito possibilita atingir uma visão ampla e consistente da realidade brasileira e sua inserção no mundo, além de oportunizar um trabalho educativo que possibilita e estimula a participação social

(Adaptado do texto de autoria da Pedagoga e Educadora Roberta Mantovani - roberta@vidaemtransito.com )
A LDB – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – Lei n.9.394, de 20/12/1996, rege a educação brasileira apontando as diretrizes a serem seguidas na educação em todo país.
Os currículos do ensino fundamental têm uma base nacional comum – PCNs – Parâmetros Curriculares Nacionais (conjunto de diretrizes que orienta as ações educativas do ensino, prevendo o ensino de pontos comuns e necessários em todas as regiões brasileiras e possibilitando também que cada escola desenvolva temas e assuntos de acordo com as características culturais, sociais e políticas de sua região).

O QUE SÃO TEMAS TRANSVERSAIS?
Os temas transversais devem ser abordados como parte integrante das áreas de ensino. Não podem ser vistos como aulas especiais nem muito menos devem ser considerados como novas matérias, disciplinas ou áreas de ensino. Os temas transversais devem fazer parte do trabalho compartilhado entre professores e alunos e devem ser discutidos, debatidos e analisados concretamente.
Os temas propostos nos PCNs, foram escolhidos com base nos seguintes critérios:
Urgência Social: questões graves que se apresentam socialmente e que impedem o pleno desenvolvimento da cidadania;
Abrangência Nacional: questões que, de alguma maneira são comuns e pertinentes à todas as regiões brasileiras;
Possibilidade de Ensino e Aprendizagem no Ensino Fundamental: questões que já vêm sendo trabalhadas pelas escolas, como por exemplo saúde, meio-ambiente, orientação sexual, etc.
Favorecer a Compreensão da Realidade e a Participação Social: questões que possibilitem a participação social dos alunos e que desenvolvam sua capacidade de posicionar-se e de intervir no meio social.
A partir desses critérios foram eleitos temas transversais para serem trabalhados durante os quatros ciclos, ou oito séries, ou ainda durante os nove anos do ensino fundamental:
ÉTICA;
PLURALIDADE CULTURAL;
MEIO-AMBIENTE;
ORIENTAÇÃO SEXUAL;
SAÚDE.

O TEMA TRÂNSITO

Nos documentos do Parâmetros Curriculares Nacionais o trânsito não é indicado como tema transversal. Porém, é considerado como tema local, de urgência e de abrangência nacional, tendo estreitas ligações com os temas da: saúde, meio-ambiente e ética.
“Os temas transversais têm por objetivo trazer à tona, questões sociais que possibilitem a construção da democracia e da cidadania.”

A EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO COMO TEMA TRANSVERSAL

Em sala de aula, o tema trânsito pode ser trabalhado em todas as disciplinas, tanto como tema principal, como também para ilustrar os demais conteúdos, sem anular a importância do currículo escolar. O objetivo é ampliar o entendimento dos alunos para o exercício da cidadania nas vias públicas e fazer com que eles levem os conhecimentos adquiridos na escola, para dentro de suas casas de forma que esta ação ganhe significado na medida que a qualidade de suas vidas e da comunidade, mude para melhor.
Quer saber mais??? Acesse:

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Ótima oportunidade para atualizar-se!


Em novembro, haverá oficinas e seminários sobre vários assuntos Pedagógicos.


Envie seus dados por email e receba informações e ficha de inscrição!

A escola dos meus sonhos....


Para todos Educadores apaixonados por Educação.... Reflexão


"Qual é a escola dos seus sonhos"?


Para mim, é a escola que educa os jovens para extraírem segurança da terra do medo, sorriso das lágrimas e sabedoria dos fracassados.

A escola dos meus sonhos une a seriedade de um executivo e a alegria de um palhaço.

Na escola dos meus sonhos cada criança é uma jóia única, mas importante que todo dinheiro do mundo.


Nela os professores e alunos escrevem uma belíssima história, são jardineiros que fazem da sala de aula um canteiro de pensadores.

Qual a família dos seus sonhos?

A família dos meus sonhos não é perfeita.
Não tem pais infalíveis, nem filhos perfeitos. Mas aqueles em que pais e filhos têm coragem de dizer um para o outro EU TE AMO, EU EXAGEREI, DESCULPE-ME.

Na família dos meus sonhos não há heróis nem gigantes, mas amigos.
Nela os pais dão risadas quando perdem a paciência com os filhos.

Um lugar simples, mas onde há gente feliz.

Linda Mensagem de Augusto Cury...

domingo, 1 de agosto de 2010

"Dia dos Pais"


Meu pai, meu amigo







Justificativa:
No segundo domingo do mês de agosto comemoramos o Dia dos Pais. Durante toda a semana que antecede essa data, sugiro uma série de atividades para ser desenvolvida para que os alunos focalizem no seu Pai: suas virtudes, seus valores, seu trabalho, seu lazer.
* É necessário despertar na criança sentimentos de amor e gratidão com o Pai.

Objetivos:
- levar a criança a demonstrar sua gratidão ao papai, homenageando-o com respeito e ternura;
- Saber citar o nome completo do pai, sua profissão e local de trabalho;
- Descrever a figura do pai oralmente, em textos e através de desenhos;
- Reconhecer as preferências do pai em casa: diversão, comida, etc.;
- Desenvolver interesse em colaborar com a família;
- Compreender a importância de viver harmoniosamente no lar.

Sugestão de atividades:

-Promover arranjos na sala de aula com murais e gravuras; ( o professor poderá usar uma gravura da família em casa, reunida na hora da refeição, distraindo-se, em conversas ou leituras, vendo televisão, fazendo passeios, etc.);
- Entrevistar o pai para que ele fale sobre seu trabalho, que deverá ser relatado aos colegas: O que faz? Por que escolheu essa profissão? Qual a importância de sua profissão? O valor do trabalho do pai e de outros membros da família no sustento da casa.


Pesquisa para saber os tipos de despesas que a família tem:
- Como o pai distribui o que ganha, na manutenção da família;
- Situações em que a criança e a mãe podem ajudar a diminuir os gastos.

Metodologia:
As atividades serão realizadas de forma individual e coletiva através da interação professor e aluno em sala de aula.

Recursos:
Cartolina, EVA, pincel, lápis de cor, tinta guache, papel ofício, etc.






Sugestões de lembrancinhas para o Papai:


Cartão para o dia dos Pais





Que tal fazer essa medalha para o Papai? Pode -se entregar depois de cantar a música ou as crianças levam para a casa para entregar aos pais







Músicas:


Meu Pai, Meu Amigo
Cristina Mel
Eu tenho um amigo


Que sempre está comigo,


Presente do bondoso Criador.


Eu tenho um amigo,Fiel, companheiro,


Exemplo verdadeiro de amor.


No dia em que eu nasci,


Ele já estava ali


Me recebendo nos braços da família;


Eu não sabia de nada,


Mas ele já me amava


E me ofertava a sua companhia.


Meu pai, meu amigo Fiel, companheiro,


Exemplo verdadeiro pra mim (pra mim),


Meu pai, meu amigo Fiel, companheiro,


Exemplo verdadeiro para mim.


Sua vida me conduz


Aos braços de Jesus,


A quem eu amarei até o fim.


Sugestão 2


Você É o Cara
Kelly Key
Composição: Kelly Key / Andinho
A confiança tá fluindo,


Eu gosto do que estou sentindo


O meu sorriso não disfarça,


Quando se quer alguma coisa a gente abraça
Eu mergulho em queda livre,


Com você crio coragem.


Aceito qualquer desafio,


E qualquer coisa na bagagem.
Eu confio em você,


De olhos fechados posso ver,


Honestidade, em um ser humano,
Tá difícil de encontrar,


Hoje em dia igual a ti.


Considere-se a pessoa mais linda do mundo...
O sorriso mais lindo...


O olhar mais sincero...


O meu porto seguro...


A pessoa mais linda do mundo... (x2)



A confiança tá fluindo,


Eu gosto do que estou sentindo


O meu sorriso não disfarça,


Quando se quer alguma coisa a gente abraça.
Eu mergulho em queda livre,


Com você crio coragem.


Aceito qualquer desafio


,E qualquer coisa na bagagem.
Eu confio em você,


De olhos fechados posso ver,


Honestidade, em um ser humano,
Tá difícil de encontrar,


Hoje em dia igual a ti.


Considere-se a pessoa mais linda do mundo...
O sorriso mais lindo...


O olhar mais sincero...


O meu porto seguro...


A pessoa mais linda do mundo... (x2)



sábado, 19 de junho de 2010

Continuação do Projeto Festa Junina


ARRAIÁ DO VERDE E AMARELO - CONTINUAÇÃO...


Quadrilha – Anime a sua quadrilha com cornetas e buzinas de torcida, assim ela vai esquentar o arraial com muito barulho, chegando já em clima de Copa. Acrescente às falas típicas do puxador frases como “Olha a Copa…” e “Olha o Gol…”!
Roupa - Você pode dar um tom de Copa do Mundo ao visual caipira de Festa Junina, colando na roupa xadrez recortes de tecido nas cores verde e amarela. As mulheres podem fazer as unhas e a maquiagem também nessas cores. No chapéu de caipira, você pode colar bandeirinhas do Brasil.
Comidas – Decore os pratos com bandeirinhas dos países da Copa e use
bandejas e forminhas de doces nas cores do Brasil. Os copinhos para as bebidas e os guardanapos também deve ser nas cores da Copa.

Dicas de Receitas para a festa:



Bolo de Milho Rápido

Ingredientes
1 Lata de Milho verde com água
1 Lata de leite condensado
1 Colher de sopa de margarida
1 Pacote de coco ralado
1 Colher de sopa de pó Royal
2 Copos de trigo
2 Ovos inteiros
Modo de Preparo
1-Bata todos os ingredientes no liquidificador, menos o pó Royal.
2-Coloque o conteúdo em uma tigela adicione o pó Royal mexa muito bem.
3-Unte uma forma coloque a massa leve ao forno para assar em 35 minutos.


Torta de Milho
Ingredientes:


1 pacote de Massa Folhada Laminada Arosa 300g;
1 ovo inteiro batido para pincelar.
Recheio:
1 lata de milho verde escorrido;
3 colheres (sopa) de manteiga ou margarina;
1 cebola picada;
1 pimentão verde pequeno cortado em cubinhos;
2 ½ colheres (sopa) de farinha de trigo;
1 1/4 xícara (chá) de leite;
100g de presunto cortado em cubinhos;
Sal e pimenta do reino a gosto.
Modo de Preparo:

Descongele a Massa para Torta Laminada Arosa conforme as instruções da embalagem.
Derreta a manteiga numa panela e doure a cebola por aproximadamente 5 minutos. Acrescente o pimentão verde e frite por mais 2 minutos.
Polvilhe a farinha de trigo por cima e mexa por mais 2 minutos. Retire do fogo e acrescente lentamente o leite, sem parar de mexer.
Leve novamente ao fogo e mexa até que o molho fique liso e grosso. Adicione o milho, o presunto, cozinhe por mais 3 minutos e tempere a gosto com sal e pimenta do reino.
Desenrole a massa sobre uma superfície lisa. Coloque o recheio e faça uma torta tipo envelope.
Faça alguns cortes sobre a torta para saída do vapor e leve para assar em forno médio (180ºC) pré-aquecido, por aproximadamente 40 minutos


Caldo de Milho

Ingredientes:4 espigas de milho2 dentes de alho600 ml de leite 1 colher (sopa) de azeiteManteiga ou margarinaSobras de frangoCheiro verde Sal
Preparo:
Bata o milho no liqüidificador, com um pouco de leite.
Coe e acrescente o restante do leite para lavar o milho.
Coloque o azeite em uma panela e frite o alho.
Despeje as sobras de frango, o caldo de milho e deixe cozinhar. Se quiser reserve alguns grãos do milho para juntar a sopa sem bater.


Creme de milho
Ingredientes:
1 lata de milho
1 cebola média ralada
1 xícara e ½ (chá) de leite
2 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 tablete de caldo de legumes
1 colher (sopa) de manteiga
1 lata de creme de leite
Modo de Preparo:
Bata o milho e o leite no liquidificador e reserve. E uma panela, aqueça a
manteiga, junte a cebola e refogue um pouco. Adicione a farinha de trigo e mexa rapidamente. Deixe dourar. Misture o leite batido com o milho e o caldo de legumes.
Mexa até dissolvê-lo completamente e
cozinhe, por cerca, de 10 minutos, até que o creme engrosse um pouco. Acrescente o creme de leite, mexa e desligue. Pronto já pode servir!


Empadinha de queijo e Milho Verde
Rendimento 10 empadinhas de 80g
Tempo de Preparo 20 minutos + 30 minutos de forno
Ingredientes
1 lata de Milho Verde em conserva Quero. 200g; 2 xícaras (chá) de farinha de trigo. 240g; 1 colher (chá) de sal. 2,5g; 8 colheres (sopa) de manteiga. 96g; 4 gemas médias. 60g; 3 xícaras (chá) de queijo-de-minas padrão ralado. 330g; 1 caixinha de creme de leite 200ml.
Modo de Preparo
Peneire a farinha de trigo com o sal aparando em uma tigela. Acrescente 5 colheres (sopa) de manteiga, as gemas e 3 colheres (sopa) de água. Misture até a massa ficar homogênea e sove em uma superfície lisa e enfarinhada por 5 minutos. Com a manteiga restante unte 10 fôrmas (capacidade para 100 ml) e forre com a massa (fundo e laterais). Recheie com o milho verde misturado com o queijo e o creme de leite. Leve ao forno pré-aquecido em temperatura média (180ºC) por 35 minutos, ou até dourarem. Retire do forno, desenforme ainda quente, decore com ervas e sirva.




BROINHAS DE MILHO
Ingredientes
1 xícara (chá) de leite integral ½ xícara (chá) de óleo de milho ¾ xícara (chá) de açúcar 1 colher (chá) de sal 1 colher (sopa) de erva-doce 1 ½ xícara (chá) de farinha de trigo 2 xícaras (chá) de fubá mimoso 2 ovos (temperatura ambiente)


Modo de PreparoFerva o leite, o óleo, o sal, o açúcar e a erva-doce. Assim que ferver, adicione o fubá e a farinha de trigo. Cozinhe até soltar do fundo da panela, mexendo sempre. Junte os ovos um a um. Observe o ponto da massa, entre cada adição de ovo, pois talvez seja necessário colocar um ovo a mais ou a menos. A massa deve ficar brilhante, lisa e mole. Coloque na forma untada, fazendo bolas com as mãos enfarinhadas de fubá. Faça um corte em cruz nas bolinhas. Leve ao forno pré-aquecido a 220 º C, até dourar. Sirva imediatamente.



MODELO DE CONVITE






Boa Festa! Dirvitam-se !

Festa Junina - Arraiá do Verde e Amarelo


Que tal aproveitar o ritmo de copa e promover este arraiá tipicamente brasileiro?

Arraiá do Verde e Amarelo

Festa do Milho
Justificativa:

Na época da colonização do Brasil, após o ano de 1500, os portugueses introduziram em nosso país muitas características da cultura europeia, como as festas juninas.
Mas o surgimento dessas festas foi no período pré-gregoriano, como uma festa pagã em comemoração à grande fertilidade da terra, às boas colheitas, na época em que denominaram de *solstício de verão.

Os negros e os índios que viviam no Brasil não tiveram dificuldade em se adaptar às festas juninas, pois são muito parecidas com as de suas culturas.

Aos poucos, as festas juninas foram sendo difundidas em todo o território do Brasil, mas foi no nordeste que se enraizou, tornando-se forte na nossa cultura. Nessa região as comemorações são bem acirradas - duram um mês, e são realizados vários concursos para eleger os melhores grupos que dançam a quadrilha. Além disso, proporcionam uma grande movimentação de turistas em seus Estados, aumentando as rendas da região.
Com o passar dos anos, as festas juninas ganharam outros símbolos característicos. Como é realizada num mês mais frio, passaram a acender enormes fogueiras para que as pessoas se aquecessem em seu redor. Várias brincadeiras entraram para a festa, como o pau de sebo, o correio elegante, os fogos de artifício, o casamento na roça, dentre outros, com o intuito de animar ainda mais a festividade.
As comidas típicas dessa festa tornaram-se presentes em razão das boas colheitas na safra de milho. Com esse cereal são desenvolvidas várias receitas, como bolos, caldos, pamonhas, bolinhos fritos, curau, pipoca, milho cozido, canjica, dentre outros

( Texto original de: Jussara de Barros - Graduada em Pedagogia- Equipe Brasil Escola - o texto sofreu pequenas alterações para fins didáticos)


*Solstício de Verão:Durante os solstícios, o sol parece deter sua marcha de um hemisfério ao outro. Precisamente "solstício" deriva do latim que significa "o sol se detém". Por exemplo, para nós nesta data o sol parece deter sua marcha para o sul, chegando a sua máxima proximidade de nosso hemisfério. Sabemos que estes são movimentos aparentes do sol, já que na realidade é a Terra que se move. O efeito é um resultado dos movimentos de translação e inclinação do eixo terrestre. Facilmente observáveis para as culturas, especialmente as de zonas temperadas, são as trocas das estações resultados destes movimentos aparente do sol. O resultado é o ciclo agrícola.

O valor nutritivo do Milho:
O milho é grande fonte de energia por conter alto teor de carboidratos, além de possuir quantidades consideráveis de vitaminas B1 e E e sais minerais.
A vitamina B1 (tiamina) ajuda na regularização do sistema nervoso e aparelho digestivo, e tonifica o músculo cardíaco. A vitamina E apresenta propriedades antioxidantes sendo, por isso, utilizada na conservação de alimentos. Ela combate a degeneração muscular, atua no crescimento e protege o sistema reprodutor, aumentando a potência sexual.É ainda rico em Fósforo (necessário ao cérebro).
O milho deve ser comprado fresco, com as folhas bem verdes e vivas e cabelos marrom-escuro. Se ele estiver à venda já sem casca, verifique se a ponta inferior da espiga é afilada e macia. Isso indica que ele está em boas condições.
O milho pode ser consumido por pessoas que possuam o aparelho digestivo delicado, por ser de fácil digestão. O óleo de milho é indicado porque dificulta a formação de gordura no sangue, reduzindo o nível de colesterol.


Sugestões de Músicas para a festa:



(Cd da tradicional Festa do Milho, que acontece na cidade de Patos de Minas – MG. O disco traz as músicas que serão mais tocadas na festa.)

As músicas do Cd, poderão ser baixadas no site abaixo:


ou



O Cd contém as seguintes músicas:

01. Luan Santana – Meteoro

02. Ivete Sangalo – Na Base do Beijo

03. Brunna e Mateus – Agora é Tarde

04. Dejavu – Novo Amor

05. Guilherme e Santiago – E dai

06. Pitty – Me Adora

07. Hugo Pena e Gabriel – Tó Nem Aí

08. Jorge e Matheus – Voa, Beija-Flor

09. Guilherme e Santiago – Tá Se Achando

10. Ivete Sangalo – Agora eu já sei

11. Brunna e Mateus – Galera Coração

12. Latino – Se Vira

13. Guilherme e Santiago – Tá Por Fora

14. Brunna e Mateus – Uma Vez

15. Hugo Pena e Gabriel – Cigana

16. Jorge e Matheus – Mistérios

17. Luan Santana – Você Não Sabe o que é o Amor

18. Latino – Selinho na boca

19. Brunna e Mateus – Volte Atrás

20. Guilherme e Santiago – Quando Você Vem me Abraçar

21. Jorge e Matheus – Onde Haja Sol

22. Luan Santana – Sinais

Sugestões de Brincadeiras para a Festa:


Brincadeiras para festa junina
....................

1. Acertar no alvo: Cada jogador recebe três bolinhas e, de uma certa distância, procura jogá-las dentro da boca de um grande caipira, desenhado em cartolina.

2. Catar amendoim: Cada criança deve apanhar, com uma colher, os amendoim colocados à sua frente, a uma certa distância, e levá-los para seu lugar, junto à linha de partida, um de cada vez. Vence quem primeiro reúne os cinco grãos.


3. Corrida de funis: Introduzir numa corda, dois funis, com a parte mais fina voltada para um laço feito no centro. Os jogadores terão que, apenas soprando, levar os funis até o laço.


4. Bigode no caipira: Desenhar o rosto de um caipira. Cada jogador, de olhos vendados, tentará colocar um bigode (coloque fita adesiva). Vencerá o que mais se aproximar do objetivo.

5. Corrida do Saci: Riscar no chão duas linhas paralelas e uma linha de chegada. Ao sinal combinado, as crianças saem pulando num pé só, em direção à linha de chegada.


6. Corrida de sacos: Semelhante à corrida do saci, fazendo cada jogador o percurso com o corpo enfiado em um saco, bem preso à cintura.

7. Ovo na colher: Cada criança corre equilibrando um ovo cozido numa colher.


8. Corrida de três pés: Feita em duplas. Onde se amarra a perna esquerda de um à direita do outro e, assim, correrão até a chegada.


9. Dança da laranja: Formam-se alguns casais para a dança. Uma laranja é colocada entre as testas de cada par. Os casais devem dançar, sem tocar na laranja com as mãos. Se a laranja cair no chão, o casal é desclassificado. A música prossegue até que fique só um casal.


10. Dança das cadeiras: Forma-se um círculo com tantas cadeiras quantos forem os participantes menos uma. Os assentos ficam voltados para fora. Coloca-se música e todos dançam em volta das cadeiras. Quando a música parar, cada um deve sentar numa cadeira. Um participante vai sobrar e sair da brincadeira. Tira-se uma cadeira e a dança recomeça. Vence quem conseguir sentar-se na última cadeira.


11. Cadeia: Escolhe-se um local isolado ou cercado por cadeiras, para ser a cadeia. Nomeia-se (ou sorteia-se) um delegado e seus ajudantes. O preso vai até a cadeia e, paga uma prenda (mostra uma habilidade), para ser solto, que pode ser: cantar, recitar, dançar, fazer uma imitação, etc. Se houver um palco com microfone, a cadeia pode ser colocada num canto dele. E a prenda, ao ser paga diante do microfone, será vista por todos da festa.


12. Corrida do milho: Traçam-se duas linhas paralelas e distantes. Atrás de uma das linhas, coloca-se uma bacia com grãos de milho. Atrás da outra linha, os participantes são reunidos aos pares - um deles segura uma colher e o outro um copo descartável. Dado o sinal, os participantes com a colher correm até a bacia. Enchem a colher com milho e voltam para a linha de largada. Lá chegando, colocam o milho no copo que seu companheiro segura. Vence a dupla que primeiro encher o copinho com milho.


13. Tiro ao alvo - tem de todo tipo: latas empilhadas, boca do palhaço, alvo redondo... Quem conseguir acertar o alvo leva o prêmio.


14. Pescaria: pode ser na água ou na areia. Os pescadores têm que conseguir pegar os peixes usando anzóis. Cada peixe corresponde a um brinde.


15. Jogo da argola: cada pino corresponde a um brinde diferente. O jogador escolhe o presente que quer ganhar e tenta acertar uma argola no pino correspondente.


16. Pular fogueira: fazer uma "fogueira" de papel laminado para pular.


17. Bingo: fazer as cartelas (ou comprar) e sortear os números. Vence o jogador que preencher toda a cartela.


18. Pesca da maçã: Sobre uma mesa, coloca-se uma bacia com água filtrada e maçãs boiando. Cada participante deve colocar as mãos nas costas e inclinar-se sobre a bacia e morder uma maçã. Quem conseguir ganha um brinde.


19. Rabo do burro: Desenhe um animal de costas ou de lado numa cartolina e prenda numa parede. Cada participante deve receber um "rabinho" com adesivo. De olhos vendados, deve caminhar até o desenho e colar o rabo do animal. Quem colocar o rabo mais próximo do local correto é o vencedor.


20. Caça ao objeto: Faz-se uma lista de objetos fáceis de serem encontrados no local onde a festa será realizada. Reúne-se os participantes para avisá-los do tempo disponível e o nome do objeto que devem procurar. Ao sinal de um apito todos correm para procurá-lo. Ao sinal de outro apito devem retornar pois é o aviso de que o tempo terminou ou o objeto já foi achado. O primeiro que retornar com o objeto pedido é o vencedor. Se o objeto não for encontrado, pede-se o seguinte da lista.


Sugestão de decoração da festa

Enfeite o seu arraiá de Copa do Mundo com bandeirinhas verde e amarelas e mini bandeiras do Brasil. Capriche na quantidade, pois quanto mais bandeirinhas mais bonita vai ficar a sua decoração. Balões e Guirlandas de papel nas cores do Brasil podem ser espalhados no ambiente, pendurados em meio às bandeirinhas. Outra dica são as fitinhas metalizadas, ótimas para decorar salas e lojas.

Continua...

terça-feira, 25 de maio de 2010

Copa do Mundo 2010- Matrizes



















































quarta-feira, 19 de maio de 2010

Projeto Abolição da Escravatura

Fotos do Projeto Abolição da Escravatura
(Leia este projeto por completo neste blog)

(http://tiacrisamoremeducar.blogspot.com/2010/05/13-de-maio-dia-da-abolicao-da.html)

Correntes partidas - símbolo da libertação

Mural da Abolição
( como sugerido no projeto)

Réplica da Carta assinada pela Princesa Isabel e Caneta de Pena
feita com revista e pena.



segunda-feira, 17 de maio de 2010

Mural dia das Mães






Esse mural foi feito na escola onde trabalho.



(Tia Samanta achou o modelo e a tia Andréa confeccionou)

Essas são: Samanta e Andréa

Copa do Mundo 2010

Reportagem no jornal O Dia, pode ser um aliado para incrementar as atividades do projeto
Copa do Mundo em sala de aula, confira a reportagem abaixo:

A Copa da África entra em campo nas salas de aula
Campeonato mundial de futebol leva alunos a estudar história, música e política

POR CRISTINE GERK

Rio - A Copa do Mundo só começa dia 11, mas nas salas de aula o time dos pequenos fãs de Kaká e Robinho já estão com a bola cheia! Os jovens alunos nunca tiveram tanta vontade de estudar Geografia, História, Português e Matemática quanto agora, quando a competição virou tema das atividades. “A tia às vezes só passa um dever e pedimos mais. Minha mãe está até estranhando eu querer ir para a aula mais cedo!”, se diverte a pequena Sarah Raquel, 10 anos, aluna da Escola Municipal General Mitre, no Santo Cristo.

No colégio, os 430 alunos de 4 a 11 anos estão conhecendo tudo sobre o continente africano, que sediará as partidas. Eles aprenderam dialetos, hinos e bandeiras de cada país da África. “Aproveitamos o gancho da Copa para ensinar sobre escravidão, preconceito, grandes personagens da História africana. Agora, eles estão escrevendo sobre que sonhos do Martin Luther King de igualdade poderiam ser aplicados à vida deles, como entrar numa loja e não sofrer com olhares desconfiados”, explica a diretora adjunta da escola, Rachel Raemy Rangel.

Não falta criatividade na hora de envolver os alunos na aprendizagem. Os times de futebol do Rio servem de desculpa para estudar a geografia da cidade. Os grandes acontecimentos ligados à Copa viram pano de fundo para aprender o contexto histórico do Brasil na época. Datas de nascimento dos jogadores escalados são ‘desculpa’ para fazer contas.

“Eles estão aprendendo substantivos próprios com os nomes dos técnicos, perguntam sobre a criação do Maracanã, os ídolos de cada época, a diversidade cultural que observam nos times. Os deveres sempre voltam prontos”, comemora a professora Eliane Saturnino Soares, do 3º ano da escola.

Alunos que antes largavam a sala suja e esqueciam cadernos na mesa agora se empenham em decorar o espaço com bandeirinhas e cartazes, deixando tudo impecável. “Eu adoro estudar a Copa porque os outros assuntos são mais chatos. Futebol dá vontade de fazer redação”, admite Thamyres do Nascimento Silva, 8 anos. “Gosto de saber sobre a África. Lá tem muito bicho, né? Jacaré, passarinho, boi, vaca. Tem que ter cuidado que eles comem gente”, alerta, preocupado, Alex Martins de Oliveira, 9 anos.
Debate sobre globalização e diferenças

No Centro Interescolar Miécimo da Silva, em Campo Grande, a disputa esportiva é pretexto para estudar a globalização. “Se eu falasse que o trabalho era de globalização, iam achar chato. Mas a Copa em si é um exemplo do que é a globalização. Nem todos os países participam, sempre no fim as potências ganham, como o Brasil, que está se transformando em uma delas. Eles entendem que os EUA gostam de dominar; que a Coreia do Norte é polêmica; e qual a influência de um país no outro. A maioria nunca ouviu falar desses países. Além de mostrar para eles que o mundo é grande, quero dizer que, pela Internet e as comunicações, o mundo pode ser pequeno. Eles podem ver como os países são desiguais, assim como o Rio, e o que pode ser feito para mudar essa realidade”.
A discussão filosófica que a Copa incita gera curiosidade até entre os pequenos. Alex Martins de Oliveira, 9 anos, quer ser jogador de futebol em Portugal quando crescer para poder ganhar dinheiro. O amigo Davi Junior, 9, o repreende: “Não pode ser pelo dinheiro, não! Se for para ganhar dinheiro, vende água, que todo mundo quer comprar. Afinal, todo mundo tem sede!”.
Vocabulário novo de Inglês e Espanhol

No Colégio Estadual André Maurois, no Leblon, os 2.400 alunos entraram em campo para pesquisar a localização dos países participantes em mapas e livros. O vocabulário dos jogos incentiva a garotada nas aulas de Espanhol e Inglês. “Estamos passando filmes sobre a África e montando exposições artísticas”, conta a orientadora educacional Marília Herzer Gil. Vinicius Bastos, 16, gosta de estudar o mundo porque quer ser chefe de cozinha: “Penso em temperos, em pratos. Eu ainda quero viajar para conhecer esses lugares ao vivo”.

Nos dias de jogos do Brasil, o Centro Educacional 1, 2, 3 e Já, no Méier, não vai funcionar no período da tarde por motivos de segurança. Caio Gouveia, 8, já comemora: “Na escola, a gente não ia conseguir ver os jogos!”.

Doenças sexualmente transmissíveis na pauta

No Colégio Santa Mônica, na Taquara, a Copa do Mundo virou gancho para estudar doenças sexualmente transmissíveis. “Como a epidemia de Aids é grave na África, aproveitamos para fazer um alerta. Estudamos a visão histórica, as relações sociais e de poder nos países africanos e participantes da Copa. A garotada está fazendo painel e analisando matérias de jornais e revistas”, conta a professora Andrea Carla, de História.

O esporte ganhou um incentivo a mais. No Colégio de Aplicação da UFRJ, na Lagoa, os alunos estão treinando até no Flamengo para competição esportiva em que cada turma representa um país da Copa. “Os professores de música estão ensinando os ritmos de cada nação para eles fazerem apresentações”, descreve o professor Tiago Lisboa
(Texto retirado na integra do site do jornal o DIA - Reproduzido para fins pedágógicos)

Seguidores

Visitantes